Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.
  • Cultural
  • Exposição de Arte

Fundação Iberê Camargo – Eclipses

02 de março de 2023 a 01 de setembro de 2024

14:00 - 18:00

Entradas / Ingressos

Confira aqui

Bilheteria na hora

Organizado por Fundação Iberê Camargo

Compartilhe:
Adicione à agenda:
Atualizado em 07/03/2024

Sobre o evento

“Conheci Iberê Camargo no início da década de 1990, por ocasião de um workshop com artistas consagrados, no Centro Cultural São Paulo. Iberê era um desses artistas. Naquele momento, ele representou, para mim, a confirmação da vocação, a prova da existência da pintura, do pintor.

No final da década de 1970, quando comecei a fazer faculdade, existia um predomínio da arte conceitual. Também nesse sentido, Iberê representava uma exceção: ele vivia a vida da própria pintura, perfazendo uma relação simbiótica entre arte e vida.

Na contramão das tendências nacionais/populares, ele se evidenciava como uma espécie de outsider, construindo uma visão singular dentro da pintura brasileira. Seu realismo era uma escavação interior, o que fazia repercutir, em seu trabalho, um raro acento subjetivo e expressionista. Desde então, eu o vi como uma espécie de exilado, buscando arquitetar uma “pintura grande”, no Brasil, enfrentando o mal-estar de ser um pintor em um contexto carente de tradição (ou, pelo menos, a tradição que ele gostaria).

Iberê buscava, assim, criar um lugar de origem, onde memória e autobiografia pudessem se unir para fundar essa espécie de pátria real: a de pintura. Concentrando-se na experiência da pintura e do pintor, e longe de quaisquer bairrismos, sua obra revelava, por meio do seu fazer obsessivo, a gênese do próprio indivíduo, uma verdadeira condensação do próprio tempo.

Para realizar essa tarefa no plano pictórico, Iberê lançava mão da matéria, quase um barro original, de onde tudo poderia brotar. Suas cores também não estariam dissociadas dessa matéria, lugar do qual, no dizer de Ferreira Gullar, elas surgiriam “como gemas sujas da noite, arrancadas ao caos”.

Também penso as cores de Iberê como sendo crepusculares. Elas nos remeteriam a uma escuridão primordial, mesmo porque, na sua prática, o pintor anoitecia as cores, criando uma espécie de blackout. Só assim, talvez, ele poderia terminar uma pintura e se reconhecer nela.

Possivelmente, a melhor metáfora, para mim, sobre as cores de Iberê, seja a do eclipse. Para além do aspecto noturno de seus trabalhos, a luz construída por ele parece não iluminar, não aquecer, mais ou menos como a sugestão de um sol que foi fechado.

A palavra eclipse vem do grego, que significa despedida, abandono. A experiência com as cores de Iberê, para mim, obedeceria a esse mesmo conteúdo poético. Nelas, no seu sentido de não cor, somos desertados da luz solar, apesar de toda a intensidade reinante.

Abraçando o fracasso e o destino como partes intrínsecas da vida, sua pintura é uma resposta à dor existencial. Sua narrativa ainda desafia categorias, deixando uma marca duradoura na história da arte brasileira.

Paulo Pasta
Curador”

Conheça o organizador

Fundação Iberê Camargo

Redes sociais

Veja mais eventos

  • Show de música
  • Arte e Teatro
  • Show de música
  • Filmes

O que fazer em Porto Alegre?

A capital gaúcha é cosmopolita como uma metrópole e acolhedora como uma pequena cidade do interior. A cada estação do ano se reinventa para oferecer o melhor no calor do verão, no frio do inverno, no colorido da primavera e no charme do outono. Escolhe qual Porto Alegre conhecer e encontra a TUA!

POA ao

Ar Livre

POA da

Cultura

Por

POA da

Gastronomia

Por

POA da

Inovação

POA da

Noite

POA da

Orla

POA das

Cervejarias

POA das

Crianças

POA dos

Esportes

POA dos

Eventos

Patrocinadores que fomentam a iniciativa